A irrupção de uma nova graça
O Terço dos Homens, a mais recente iniciativa divina no Movimento Apostólico de Schoenstatt

No BRASIL O Espírito Santo tem se mostrado sumamente criativo na Igreja ao longo destes últimos anos. Também o Movimento Apostólico de Schoenstatt vem experimentando este impulso do Espírito em suas fileiras. Quando já parecia ser impossível trazer o homem de volta à Igreja, surge subitamente um novo movimento, tipicamente masculino, o chamado "Terço dos Homens". Além de sua irrupção inesperada, este apostolado cresce com uma velocidade impressionante, em todo o Brasil. Carlos Alves, o Coordenador Geral do Terço dos Homens na Arquidiocese de Olinda/Recife fala sobre os inícios e os objetivos do Terço dos Homens, como um novo rebento de vida.
O Terço dos Homens nasceu de uma semente muito fecunda, lançada pelo nosso Diácono João Luiz Pozzobon. Foi em 10 de setembro de 1950, quando ele recebeu a Imagem da Mãe Rainha para levá-la às famílias, aos hospitais, às escolas, aos presídios que esta semente iniciou sua germinação.
A preocupação inicial de João Luiz Pozzobon foi de se tornar um instrumento disponível para levar a Mãe Rainha a toda parte, onde lhe fosse possível. E a forma concreta de atingir as pessoas, foi a reza do Terço. Com isso, de certa forma, já naquele momento, ele estava lançando esta semente do Terço dos Homens no solo fecundo do Movimento de Schoenstatt. Isso porque, ao longo dos anos, a Campanha do Terço se tornou quase um costume de que apenas as mulheres comparecessem à recitação do Terço.
Na época do Seu João já se havia formado em torno dele um grupo de homens que chegou à casa dos 100 participantes. Foi entre eles que nasceu a idéia de mandar confeccionar algumas Imagens da Mãe Rainha e ir com elas às famílias para rezar o Terço. Foi assim que nasceu a Campanha da Mãe Peregrina de Schoenstatt. E sabemos como ele acabou ficando sozinho neste grupo dos homens. Porém, Seu João perseverou na sua missão porque sabia da sua responsabilidade, iluminado pelo Espírito Santo.

O segredo de sua fecundidade está na sua vinculação ao Santuário da Mãe Rainha de Schoenstatt
A freqüência, como dizíamos, era uma vez por mês. Depois, sentimos a necessidade de passar a reunir os homens semanalmente para rezar o Terço. Todos os que participavam apoiavam esta idéia. Mas como víamos aquele movimento muito forte, com uma participação muito positiva, então, achamos por bem divulgar o Terço dos Homens em outras Paróquias e comunidades. Assim, fomos divulgando e implantando estes grupos.

Vale salientar que todos estes grupos funcionam. E o segredo de sua fecundidade está na sua vinculação ao Santuário da Mãe Rainha de Schoenstatt e das graças que os homens de lá recebem. É, pois, um movimento "cristocêntrico" mas que tem à sua frente a Mãe Rainha como a nossa grande intercessora. Desta maneira, os frutos estão surgindo com uma rapidez impressionante. Nós sabemos, como João Luiz Pozzobon mesmo dizia, que a Mãe Rainha tem pressa. E esta pressa é tão grande que nós, humanos, não conseguimos acompanhar.
Este grupo cresceu e está cada vez mais fortalecido e este crescimento se deve, em grande parte, ao apoio que o Movimento do Terço dos Homens tem recebido da parte dos Padres de Schoenstatt. Mas, se deve também, à aprovação e ao incentivo da Arquidiocese de Olinda/Recife, do Sr. Arcebispo, D. José Cardoso Sobrinho, bem como do seu Bispo Auxiliar, D. Antônio Fernando Saburido, além dos Bispos das outras Dioceses nas quais temos aberto nossos grupos do Terço dos Homens. É o caso de Caruaru, João Pessoa, Fortaleza, do Alto do Sertão, de Salgueiro e outras.
Estes apoios têm sido muito importantes. Também nos sentimos fortalecidos com a palavra de apoio e bênção que temos recebido, recentemente, de D. José Ivo Lorscheiter, Bispo Emérito da Cidade de Santa Maria/RS, quando estivemos participando no Congresso do Centenário de João Luiz Pozzobon, em setembro deste ano. O mesmo vale dizer, também, de D. Hélio Rubert, atual Bispo titular da Diocese de Santa Maria. Gostaria de registrar também, o apoio do Pe. Marcelo Rossi com quem nós estivemos em São Paulo no caminho de retorno do Congresso do Seu João. Ele ficou encantado com o volume do nosso movimento e, inclusive, queria saber mais detalhes sobre este movimento maravilhoso.
Cerca de 13.000 homens rezando, semanalmente, o Terço.
Mas, acima de tudo, é importante que estes grupos do Terço dos Homens tenham o apoio dos Párocos. Isso porque o nosso movimento deve ter obediência à hierarquia da Igreja, capaz de torná-lo cada vez mais fecundo.
Para isso, é formada uma Coordenação Diocesana aqui junto ao Santuário da Mãe Rainha, em Olinda/Recife. Cabe a ela dirigir, orientar e controlar melhor este crescimento rápido dos grupos do Terço dos Homens e ter em mãos os números dos participantes para que o movimento não se perca pela rapidez da sua evolução. Sentimos necessidade de que o Terço dos Homens seja cada vez mais um movimento organizado e disciplinado.
Hoje temos, oficialmente registrado, o número de 126 grupos do Terço dos Homens, espalhados principalmente no Nordeste, mas, também, em outros

Estados do Brasil. Em Fortaleza/CE, o Terço dos Homens está crescendo com grande intensidade, também em Teresina/PI e aqui em Pernambuco, no Alto Sertão. Hoje, contamos com cerca de 13.000 homens rezando, semanalmente, o Terço.
Porém, reconhecemos a nossa incapacidade de acompanhar estes números de forma mais real. É nossa convicção de que este número vai, até, muito mais além. Estamos nos esforçando para levar, com ainda maior eficiência, o acompanhamento dos grupos que, a cada dia que passa, crescem por todos os lados.
Estes dados são de todo o País. Mas, a maior parte, cerca de 90%, está aqui no Nordeste. No entanto, estamos com muita esperança de que o Terço dos Homens também cresça no sul, no leste e oeste do Brasil. Isso, principalmente, depois deste contato que tivemos com pessoas de todo o País, no Congresso do Centenário de João Luiz Pozzobon, em Santa Maria. Lá tivemos a oportunidade de fazer um pronunciamento a respeito do Terço dos Homens e distribuímos roteiros de formação e fichas de cadastramento, não só entre os participantes brasileiros mas, também, entre os estrangeiros.
Muitas pessoas se interessaram e nos procuraram, principalmente, as autoridades eclesiásticas presentes. Elas viram a importância deste nosso movimento e manifestaram o desejo de fazer sua implantação em suas regiões ou em seus países.
No último mês de outubro estivemos participando da Assembléia Pastoral da Arquidiocese de Olinda/Recife. Para a nossa alegria, o Terço dos Homens foi incluído no terceiro Objetivo Operacional, que é a Palavra, a Liturgia e a Caridade. Portanto, o Terço dos Homens passou a ser na nossa Arquidiocese um caminho oficial e ativo para levar a Palavra às pessoas e comunidades.
Por outro lado, sentimos a necessidade de nos unirmos, cada vez mais. Já temos agendado o "Primeiro Encontro Nacional do Grupo de Oração do Terço dos Homens" do Brasil, aqui no Ginásio de Esportes de Recife, o Geraldão, no dia 29 de maio de 2005. Este Ginásio tem capacidade para abrigar 15.000 pessoas. Com certeza, vamos conseguir lotá-lo, para demonstrar, assim, a força deste movimento do Terço dos Homens.
O objetivo do Terço dos Homens
O nosso objetivo é, justamente, fazer florescer e frutificar aquela semente que foi plantada pelo nosso Diácono João Luiz Pozzobon. E, para nós, este objetivo é participação ativa na Nova Evangelização, que é a missão do nosso Santuário de Olinda/Recife. É o comprometimento que os homens têm, não apenas de rezar o Terço mas, também, de promover a mudança de vida e a transformação do ambiente em que vivem e trabalham.

Ao vestir a camisa do Terço dos Homens, o homem é convidado a se preocupar, fundamentalmente, com a família e com a comunidade. Ele é incentivado a cultivar a fraternidade, buscando tornar-se irmão de todos. Com muita felicidade nós temos conseguido isso, principalmente levando a Palavra, porque no nosso Terço sempre fazemos a proclamação da Palavra de Deus, em especial do Evangelho. Portanto, realmente, levamos a Palavra e a comunhão fraterna, com uma participação muito ativa em todas as reuniões de nossos homens.

Muitos exemplos de transformação prática e concreta dos homens
Há muitos exemplos de transformação prática e concreta dos homens que participam do Terço. Temos entre nós, pessoas que mudaram totalmente em sua atitude de vida. Gostaria de citar alguns testemunhos que chegaram até nós ou que foram dados diretamente em nossas reuniões da reza do Terço:
Temos o caso de uma família em que a senhora rezava o Terço, diariamente. Porém, o marido não dava a mínima importância, não considerava e respeitava a esposa. Ele possuía uma kombi de aluguel. Certa vez, este homem foi contratado para trazer um grupo de homens para o Santuário, a fim de participar do Terço dos Homens. Ele veio, trouxe os homens, mas ele ficou do lado de fora, esperando que o Terço terminasse para levá-los de volta. Só que ele ficou ouvindo a oração do Terço pelo alto-falante. Assim, sem querer, foi obrigado a participar do Terço. A partir deste dia, este homem passou a ser um participante ativo do Terço. Ele fez uma reconciliação com a sua família e, hoje, traz os homens em sua kombi, sem cobrar nada pela corrida e participa com muita alegria do nosso Terço.
Temos um outro fato, de um homem que sempre andava com uma arma na sua capanga. Certa vez, ao pegar na arma, também pegou no Terço. Na hora ele se questionou e sentiu que devia se decidir entre o Terço e a arma. E, a partir daquele dia, ele deixou a arma de lado e a sua arma passou a ser o Terço.
Outro testemunho muito forte aconteceu em Garanhuns/PE com um amigo nosso, membro do Terço dos Homens. Ele vinha de viagem e o automóvel dele precipitou-se num abismo e capotou cinco vezes. O carro praticamente teve perda total. Ele estava com cinto de segurança e conseguiu se salvar. Ao sair debaixo dos escombros pela porta, a primeira coisa que ele pegou foi o Terço que levava; estava na mão dele. Naquele momento reconheceu que foi salvo pelo Terço.


Temos também, o caso de irmãos nossos que não eram batizados, outros que não tinham feito a primeira Comunhão, com anos e anos sem se confessar. Com a participação do Terço eles passaram a ter um contato mais comprometido com a Igreja e regularizaram a sua vida religiosa.
Há o caso de um transplante de coração de um colega nosso que estava desenganado e não tinha mais esperança alguma de sobrevivência. Era um rapaz novo, com apenas 29 anos. Ele veio ao Santuário, pediu a ajuda da nossa Mãe Rainha e, mesmo desenganado, fez o transplante do coração. Hoje já são mais de três anos que isso aconteceu e ele está participando regularmente conosco do Terço dos Homens. É saudável e não houve nenhuma rejeição do novo órgão.
Ainda teríamos inúmeros outros casos a relatar, mas estes fatos servem para demonstrar que estamos atingindo o objetivo do Terço dos Homens em nossa caminhada apostólica. Por isso, na próxima edição de nossa Revista, voltaremos a falar sobre o andamento do Terço dos Homens e o seu desenvolvimento em todo o Brasil.